Paulo de Carvalho

50 anos de carreira não se fazem todos os dias. Por isso, Paulo de Carvalho dedicou o ano de 2012 a comemorar uma carreira ímpar de espectáculos, edições discográficas, canções e participação cívica na sociedade. Dia 7 de Setembro foi a vez de Lisboa, sua cidade natal e sobre a qual tanto tem cantado e composto, o acolher.

No espectáculo que, desde Fevereiro, já passou por salas como a Casa da Música (Porto), o Teatro Aveirense ou o Cine-Teatro São Pedro (Abrantes), o cantor e compositor revisita, com arranjos actuais, os grandes temas da sua vida musical, como “E Depois do Adeus”, “Gostava dos Vos Ver Aqui”, “Nini dos Meus Quinze Anos”, “Dez Anos”, “Prelúdio (Mãe Negra)”, “Os Meninos de Huambo”, “O Cacilheiro” ou “O Meu Mundo Inteiro”.

Com a energia e carisma excepcionais que o caracterizam, Paulo de Carvalho esteve acompanhado por grandes músicos de uma geração posterior à sua, o que contribui para o registo de modernidade que marcou esta celebração. Em palco estiveram Victor Zamora (piano), Tiago Oliveira (guitarra), Leo Espinoza (baixo), Ruca Rebordão (percussão), Marcelo Araújo (bateria) e, como convidados, Mafalda Sacchetti e Agir.

O tema que simbolicamente assinala o início da Democracia em Portugal, “E Depois do Adeus”, marca para sempre o homem e o cantor, mas Paulo de Carvalho deu voz a muitos outros temas que várias gerações cantam de cor. Ao longo de 50 anos, Paulo de Carvalho notabilizou-se como cantautor, deu voz a alguns dos mais notáveis poetas portugueses, dos quais se destacam Ary dos Santos, José Niza, Fernando Assis Pacheco ou Joaquim Pessoa, e compôs temas importantes para a história recente do Fado, como "Lisboa Menina e Moça" e “Meu Fado Meu”.

Reconhecido pela sua personalidade vocal e timbre únicos e por ser um cidadão notável, Paulo de Carvalho é um nome incontornável da música portuguesa.

7 Setembro 2012
M/6
Produtor: UAU e Quarta Perfeita
Ok
Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e lhe oferecer uma melhor experiência de utilizador. Saber Mais