Samuel Úria

Um ano antes fora altura de anunciar um novo disco, do regresso com novas canções (e que canções!), de uma evolução na sonoridade, da elevação no recorte da palavra. Carga de Ombro era o título e a expressão que condensava as nossas expectativas. Nossas porque  do público mas também as de Samuel. Afinal, a distância que Samuel Úria nos faz percorrer entre o “amparo” e a “provocação” é tão tenuemente grande que mais do que nunca nos revemos no verso da canção que dá título ao disco “põe o teu ombro junto ao meu, carga de ombro é legal”.

A imprensa escrita enalteceu-o com referências elogiosas e a inclusão na lista dos melhores do ano 2016. A rádio fê-lo ser ouvido, “Dou-me Corda” ou “Repressão” percorrem o éter. A televisão relevou-o, destacando-se o episódio para a série “No Ar”. E até o mundo da animação o premiou pela parceria com Pedro Serrazina no vídeo para “É preciso que eu diminua”, single de “Carga de Ombro”.

E a celebração justificou-se! Um concerto que se pensou único, na magnífica sala lisboeta do Teatro Tivoli BBVA! Uma celebração em que houve a oportunidade de partilhar com o público a cumplicidade musical de que a sua carreira se tem revestido. Com o “trovador das patilhas”, no palco do Tivoli: Ana Moura, Golden Slumbers, Manuela Azevedo e Miguel Ferreira.

27 Maio 2017
M/6
Produtor: Vachier & Associados-Produção de Espectáculos
Ok
Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e lhe oferecer uma melhor experiência de utilizador. Saber Mais